Judeci Ferreira Lima, de 49 anos, conhecido como o “rei da clonagem”, e sua esposa Zilda Nunes Pedro Lima, de 39 anos, foram apresentados à imprensa na manhã de ontem. Seus mandados de prisão foram cumpridos na tarde de terça-feira, (11), em uma chácara em Goianira, a 32 km da Capital. O casal é acusado de prestar serviços de clonagem para quadrilhas especializadas em roubo e furto a veículos na Capital e na Região Metropolitana. Paulo Rosa de Jesus, de 34 anos, integrante do grupo, também foi preso no mesmo dia.

Especialista

De acordo com Edson Carneiro Caetano, delegado titular da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA), na Capital, o casal especialista em adulterar chassi de carros roubados vinha sendo investigado, há um ano, também pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), quando foram deflagradas as operações “Cadeia do Crime” e “Guilhotina” e expedidos seus mandados de prisão. Com base nas escutas telefônicas, a Polícia Civil (PC) descobriu que grande parte das quadrilhas de roubo a veículos, na Grande Goiânia, buscava seus serviços de clonagem. As escutas revelaram ainda a identificação do local onde eles se escondiam e eram feitas as adulterações, uma pequena chácara localizada na entrada de Goianira utilizada como oficina clandestina. O local foi monitorado por agentes da especializada durante uma semana e a prisão do casal ocorreu no início da tarde, de terça-feira (11). No local, os agentes apreenderam três maletas contendo ferramentas utilizadas pelo mecânico especialista para fazer as adulterações de chassis. Selos e chapas de portas, vidros de automóveis roubados também foram apreendidos.

Desfalque no crime

Ainda de acordo com o delegado, as investigações da delegacia especializada também levaram à localização do terceiro membro do grupo no Setor Santa Rita, na Capital. Ele tinha passagem na polícia por roubo de veículo e era foragido da Justiça por homicídio. Ainda de acordo com ele, dez camionetes e veículos de luxo, já clonados, foram apreendidos na ação em diversas cidades do interior do Estado. Dois deles já foram reconhecidos por seus proprietários. Os demais permanecem estacionados no pátio da DERFRVA, no Setor Cidade Jardim, onde aguardam pela identificação dos seus proprietários. O delegado titular crê que, nos próximos dias, outros 10 veículos nas mesmas condições sejam recuperados e apreendidos.

O casal, que já tinha passagens na polícia por roubo de veículos, também foi autuado por crimes de formação de quadrilha, adulteração do sinal identificador de veículos, receptação e roubo de veículos. Com a prisão do casal, o delegado Edson Carneiro Caetano acredita que as quadrilhas de roubo e furto de veículos sofrerão um duro golpe, uma vez que o casal era considerado especialista na adulteração de chassis e documentos, e portanto peça fundamental na lógica deste delito.


Fonte: Diário da manha